Você está preparado para as mudanças no mercado de trabalho para esse ano? E agora RH?

O mercado de RH e administrativo em geral tem passado por mudanças sem precedentes, com novas tecnologias que caem de paraquedas na vida dos profissionais, mudando a maneira como as empresas encontram, contratam e retêm talentos, ou até mesmo gerenciam departamentos diversos.  

Vamos começar pela tão falada inteligência artificial que passou de um sonho e se tornou real e fácil de se usar, mas que ainda assusta alguns profissionais. Mas as tendências, caros colegas, é embarcar nesse “navio” de transformações fascinantes e se engajar. Navio este que parece se contradizer, seguindo contra a maré, mas calma, tudo tem uma explicação.  

Vou comentar sobre as principais tendências de RH para esse ano e que provavelmente irão se aperfeiçoando cada vez mais para os próximos anos:

– Inteligência artificial: 

A inteligência artificial deixou de ser apenas especulada para ser executada, com isso, os gerentes podem se concentrar na estratégia, no uso da criatividade e na mentoria, oferecendo uma poderosa vantagem competitiva para empresas capazes de aproveitar essa tendência, à qual cresceu muito entre 2018 e 2020, em especial. 

– É hora da valoração cultural das empresas:

Uma cultura forte e explicita não é mais um detalhe interessante que os candidatos decoram nos sites das empresas, ou que as empresas criam para “encher linguiça” na internet ou quando precisam para alguma ISO, é também uma estratégia de negócios. Já se sabe que a cultura tem um impacto significativo na capacidade da empresa em recrutar e reter os melhores talentos. Por isso, não basta que as empresas falem sobre cultura: elas precisam colocar em prática aquilo que pregam, e os colaboradores também. 

Melhor aproveitamento da geração 1960? É loucura?  

Acreditem, a mão de obra que mais crescerá na próxima década não é a geração dos recém-chegados dos anos 90 (famosa geração Z), mas sim os nascidos nas décadas  de 60, 70 e 80. Obvio que haverá um misto, mas esses candidatos, que antes não tinham chances, (60/70) hoje tem maior possibilidade de se unir a geração Z.

Entendam: 

A população a partir dos anos 60 está trabalhando por mais tempo, essas pessoas em sua maior parte estão buscando vidas mais saudáveis, trabalham em empregos que exigem menos fisicamente, porém doam-se mais intelectualmente, empenham-se em não sentir-se “sem” utilidade e também dependem de renda, se não única, uma renda extra, dando um valor significativo ao trabalho, e não ao “emprego”. A tendência é que as empresas passem a valorizar cada vez mais os benefícios e absorver esses talentos, óbvio que não é generalizado, e sim um misto da geração 70/80/90 com a geração 60, por exemplo, e aí muitas ideias tendem a surgir, para ganho da empresa. Além da óbvia vantagem de se poder contar com profissionais experientes e maduros, uma força de trabalho mais heterogênea nesse sentido também significa fator valioso para impulsionar a criatividade e a inovação. 

Deixando claro que esse novo público a ingressar no mercado, só obterá sucesso se abrir a mente e se atualizar, unindo a experiência com a tecnologia. 

–  Maior presença do celular na hora da contratação

 O uso de computadores tradicionais tem diminuído rapidamente, e essa mudança tem enorme impacto na experiência do candidato. Temos empresas em nossa região que já realizam o início do processo seletivo via chamada de vídeo, ou criação de currículo via vídeo para envio e seleção. A tendência das empresas é simplificar seus sistemas de recrutamento e seleção, tornando a experiência móvel (celular) mais fácil e amigável para os profissionais. Em particular, eu vejo empresas correndo o risco de perder bons candidatos por conta de burocracia, formulários gigantes ou sites de difícil navegação, preenchendo currículos com perguntas que, se não preenchidas, geram falha em todo o processo e causa tempo perdido do candidato.

Por essa razão, sou a favor do currículo no e-mail, site com preenchimento facilitado estando tudo ok no currículo, vamos para a etapa “mobile” (telefone celular) e aí por diante. 

Em resumo, a ideia em 2020 é a inclusão da inteligência artificial, 100% digital, melhor uso do conhecimento dos colaboradores mais antigos, junto as ideias dos mais novos, para uma mistura positiva para as companhias, empresas com raízes fortes e culturas íntegras e atuantes, e aguardem, vem muito mais por ai.

Por Silvana Borba, profissional atuante há 12 anos em Gestão de Pessoas e administrativa e colunista do Informativo Taboão

Deixe seu comentário - OPINE!

Seu email não será publicado.