Exposição de Orquídeas incentiva novos projetos

Por Elke Lopes Muniz

Com área de manancial, úmida e ventilada, Embu das Artes e toda a região possuem ambiente favorável ao cultivo de orquídeas. A cidade tem até uma rua com o nome de Orquidófilos, na qual há mais de 30 anos ocorriam eventos dessa planta. “A tradição é tão forte que não dá para parar”, justifica Rafael Bianchi Galati, do Orquidário da Terra, que promoveu a 4ª Exposição de Orquídeas do Orquidário da Terra, realizada de 29 a 31/5, com apoio da Prefeitura da Cidade.

Rafael Galati já pensa na 5ª Exposição, evento que faz parte do calendário oficial embuense, e trabalha em novos projetos, de implantação de orquidário e laboratório, criando oportunidade de primeiro emprego para o jovem técnico em cultivo, no Parque Rizzo, e orquidários nas escolas municipais. “Todos são projetos sociais, gratuitos para a população, que estamos em conversação com o prefeito Chico Brito, através das secretarias de Turismo e de Educação”, declarou Rafael Galati.

A 4ª Exposição de Orquídeas do Orquidário da Terra colocou à disposição várias espécies de orquídeas, atraindo ao Parque Rizzo frequentadores assíduos de eventos da planta no País. É o caso de Maria Pereira e Feliciano de Freitas, de São Paulo, que visitaram a cidade especialmente para ver a exposição. Com as dezenas de espécies que têm em casa, catalogadas em um caderno, e a agenda anual de eventos sobre o assunto que carrega, o casal demonstra saber tudo sobre orquídeas, que começou a cultivar em 2012 e que hoje embelezam a casa em Interlagos.

Crianças aprendem a cultivar

Na sexta-feira, 29/5, estudantes da EM José Salvador Julianelli plantaram mudas de orquídeas nas árvores do parque. Foram realizados cursos sobre o cultivo de orquídeas e sobre as espécies nativas do parque. Em 30/5, Eduarda Silva Neves, 11 anos, decidiu aprender, gratuitamente, com Hélio Ribeiro, o “Professor Pardal”, a fazer bonsai, com a proposta de cultivar miniorquídeas e outras plantas.

Além dos orquidários da Terra e Oriental, de Santa Isabel, participaram os orquidários Luiz Rodackii, de São Roque, Edson e Júlia, de Piedade, Alto da Serra, de Itapecerica e Holand, de Guararema. O índio Waratam Pataxó e a índia Yawara Tapuia fizeram demonstrações do artesanato e costumes. O químico Valdomiro Basso produziu o cosmético para plantas que levou à exposição. “Normalmente, quando se faz um arranjo, se cobre com plástico as folhas porque são feias diante das flores. Meu produto à base de água e vegetais deixa as folhas bonitas”, diz.

Artur Norberto Heger, do Orquidário Oriental, acredita que exposições são importantes para informar sobre meio ambiente e orquídeas, com 35 mil espécies nativas e mais de 250 mil no mundo, em que 50 novas espécies surgem a cada ano. Vejam as dicas de como cultivar.

Fim de semana com as flores

Paralelamente à Exposição de Orquídeas foi possível fragar no Parque Francisco Rizzo uma cena que tem se repetido na cidade. Iris Cordeiro e Ângelo Cazeri, do Jardim Novo Embu, que se casam no dia 13, fazem pose apaixonada para a foto de Marcelo Passo, que visita a cidade com a mulher, Gilce Passo. “É realmente muito bonito”, diz Iris sobre a Tithonia diversifolia, o margaridão amarelo, nome popular dos minigirassóis espalhados nesta época do ano pela cidade.

Deixe seu comentário - OPINE!

Seu email não será publicado.