Ministro dos transportes anuncia conjunto de obras para a região

Ministro dos Transportes anuncia obras de macrodrenagem e conjunto de obras para a região - Foto: Williana Lascaleia

Por Williana Lascaleia, do Centro

 

Ministro dos Transportes anuncia obras de macrodrenagem e conjunto de obras para a região - Foto: Williana Lascaleia
Ministro dos Transportes anuncia obras de macrodrenagem e conjunto de obras para a região – Foto: Williana Lascaleia

Na manhã desta sexta-feira, dia 25, o ministro dos transportes, Antônio Carlos Rodrigues, a Agencia Nacional de Transporte Terrestre, ANTT, e da Autopista Régis Bittencourt anunciaram um conjunto de obras para Embu da Artes, Itapecerica da Serra e Taboão da Serra, além do investimento de R$ 61 milhões em obras de macrodrenagem para acabar com as enchentes na rodovia Régis Bittencourt.

“O alagamento vai ser resolvido sim e essas demais obras também. Sem recurso o governo se socorreu na concessionária para realizar essas obras. Vamos dar datas para essas obras. Serão investidos R$61 milhões [na obra de macrodrenagem]. Imagina quantas pessoas ficam paradas [na rodovia] por causa de chuvas sem conseguir entrar em São Paulo”, afirmou o Ministro.

Já as obras propostas para solucionar problemas, como adequação de viadutos, passarelas e o conjunto de mobilidade urbana que foram apresentadas pela ANTT custarão cerca de R$30 milhões.

Em Taboão a concessionária fará a readequação geométrica do viaduto “Paulo Ayres” no km 272+800 e a Substituição da Passarela existente no km 269+900 – Parque Industrial /  Ampliação da capacidade viária; em Embu das Artes Readequação Geométrica do Dispositivo do km 282+000 / Acesso à Avenida Rotary (Perdigão) e em Itapecerica da Serra Implantação de Passarela no km 289+150.

Não foi divulgado o valor individual de cada obra.

 

Taboão da Serra

 

O ministro afirmou que não anunciou a municipalização do trecho da Rodovia Régis Bittencourt em Taboão pela ausência do prefeito Fernando Fernandes, que estava em viagem e foi representado pelo vereador José Aparecido Alves, o Cido, e que a mesma não oferece nenhum custo ao município.

“Eu só não anunciei o trecho de municipalização daquele trecho porque o prefeito [Fernando Fernandes] não estava presente. […] Na municipalização a gente passa o domínio, não tem custo nenhum [para a prefeitura]”, afirmou Rodrigues.

Já a diretora interina da ANTT, Natália Marcassa, informou que em contrapartida com a municipalização tem o conjunto de obras apresentado e a obra de drenagem.

“A prefeitura vai ter o custo de manter [o trecho municipalizado], mas em contrapartida tem o conjunto de obras que foi apresentado e uma obra de drenagem. Depois que fizermos este conjunto de obras Taboão estará apto para a municipalização”, afirmou Nathalia.

No último sábado, dia 23, o prefeito Fernando Fernandes falou sobre a visita do ministro e afirmou que a municipalização foi solicitada pelo governo passado e que vai estudar a fundo os custos desta municipalização já que o piso de uma rodovia é diferente de uma avenida, que há uma serie de obras que precisam ser feitas e que devem correr por conta da concessionária, intersecções precisam ser feitas na rodovia para que seja feito a ligação dos dois lados do município. Fernandes afirma que está disposto a conversar, mas que irá analisa os custos.

“No governo passado a prefeitura pediu [a municipalização]. Eu não fiz o pedido, mas estou disposto a discutir. Essa discussão passa por uma serie de coisas como, por exemplo, uma serie de obras de capitalização de água que devem ocorrer por conta da concessionária. É uma serie de coisas que precisamos discutir. Se a BR- 116 passa a ser uma avenida piso tem que ser mantido como uma piso de rodovia? Assim, os cofres municipais não tem condições de arcar. Nós precisamos discutir”, afirmou Fernandes.

O evento aconteceu no Centro Cultural Mestre Assis do Embu e contou com a presença de prefeitos, vereadores e autoridades de toda a região.

 

Deixe seu comentário - OPINE!

Seu email não será publicado.