Secretaria de Gestão de Pessoas de Taboão da Serra participa do planejamento do governo Aprígio para 2021-2024


Servidores identificaram dificuldades, desafios e traçaram metas para melhorias no funcionalismo público

A Secretaria de Gestão de Pessoas (SGP) da Prefeitura de Taboão da Serra tem diversos projetos para contribuir com a evolução do funcionalismo público e da cidade. Por isso, em 11/02, as equipes técnicas da pasta se reuniram no Viveiro Municipal para auxiliar na construção do Planejamento Estratégico da Gestão (2021/2024).

O projeto está sendo desenvolvido pelas Secretarias de Fazenda e de Planejamento e Gestão Estratégica e tem como objetivo escutar funcionários públicos de todas as pastas. A ideia é, de maneira participativa, elaborar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO-2022), o Plano Plurianual (PPA 2022-2025) e a Lei Orçamentária Anual (LOA-2022).

Segundo Dr. Alexandre Depieri, secretário de Gestão de Pessoas, o encontro foi proveitoso. “A questão do funcionalismo público é algo muito sensível na gestão municipal e o Governo Aprígio faz questão contribuir com melhorias”, disse. “Neste encontro pudemos elencar as dificuldades que temos, os desafios a serem superados e estabelecer metas e prioridades para avanços nos próximos quatro anos”, destacou o secretário.

A Secretaria de Gestão de Pessoas apresentou propostas em diversas áreas, como questões relacionadas à folha de pagamento, engenharia de segurança e medicina do trabalho. O foco das propostas foram melhorias para o funcionalismo público, não apenas salarial, mas também capacitações técnicas e motivacionais e de condições de trabalho para os próximos quatro anos.

“O prefeito Aprígio visitou quase todos os prédios públicos da cidade e encontrou os servidores trabalhando em situações insalubres. Pretendemos, além da questão salarial, melhorar as condições e os locais de trabalho dos servidores, investir em tecnologia da informação para ter mais agilidade nos processos, realizar capacitações e treinamentos tanto técnicos, quanto motivacionais e, mesmo em meio a Lei Federal 173/2020, aprovar o plano de carreira para as áreas que ainda não existe, além de rever os demais planos existentes (Magistério e GCM) os adequando as demais realidades”, finalizou Depieri. 


Por Vera Sampaio

Deixe seu comentário - OPINE!

Seu email não será publicado.