AEAI debate assédio sexual em evento na Pinacoteca

Por
Pesquisa do Datafolha de dezembro de 2017 aponta que 42% das mulheres no Brasil já sofreram assédio sexual. Para discutir o tema, um dos mais polêmicos da atualidade, a Assessoria Especial para Assuntos Internacionais (AEAI) promove a segunda edição do #SMASHTHEGLASS.
O evento é uma parceria da AEAI com o Consulado do Canadá em São Paulo e vai acontecer no próximo dia 07 de março, das 14h às 19h, na Pinacoteca do Estado.
O tema será discutido em dois painéis – Violências Diárias e Políticas e leis por quem e para quem – por Cristiane Pereira, coordenadora do Centro de Recuperação e Apoio à Vítima (CRAVI) da Secretaria estadual da Justiça; Paula Souza, defensora pública; Flávio Antas, coordenador do Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas; Samira Bueno do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, e Evelyne Coulombe, do consulado do Canadá.
Interessados em participar do evento já podem fazer inscrição clicando neste link. O evento é livre e gratuito, mas as vagas são limitadas.
O objetivo é dar visibilidade ao assunto a partir da realidade brasileira. “O assédio é muito banalizado e muitas mulheres ainda têm dificuldade de identificar o ato”, diz Andrey Brito, coordenador de Cooperação Internacional da AEAI.
“Os desafios da mulher ainda são muitos e a intenção é sempre colocar algum aspecto dessa realidade em pauta”, concluiu. Na edição do #SMASHTHEGLASS de 2017, a discussão girou em torno dos desafios da mulher no mercado de trabalho.
O “SMASHTHEGLASS” é o primeiro evento da agenda anual “O Mundo que Queremos”, organizada pela AEAI este ano em comemoração a Declaração Universal de Direitos Humanos, que completa 70 anos em 10 de dezembro próximo. O documento foi assinado em 1948 por unanimidade durante a Assembleia Geral da ONU em Paris.
“O Mundo que Queremos” dá sequência a uma série de eventos da AEAI que contempla os direitos humanos para ampliar a discussão dos temas. Organizados em parceria com consulados e embaixadas, este ano serão sete eventos, a maioria realizada em museus do Estado paulista.
Nos últimos dois anos, a Assessoria Internacional viabilizou o Feirão do Emprego para Refugiados e Imigrantes, o #SMASHTHEGLASS e o POW3R em defesa dos direitos da mulher, o festival de cultura LGBT Diversa Fest, o Beya Kaya que promoveu o debate e a cultura das questões indígenas, entre outros.
O Mundo que Queremos
A programação de “O Mundo que Queremos” tem apoio da Secretaria estadual da Cultura e foi organizada para contemplar os principais artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.
Sempre com entrada gratuita, o objetivo é que cada uma das ações envolva integrantes da sociedade civil, representantes do governo e empresas, comunidade acadêmica e lideranças estrangeiras para o debate de pautas polêmicas como o assédio sexual, as cotas raciais, a homofobia, a causa de refugiados e imigrantes, entre outras que tratam os artigos da declaração estabelecidos como direitos fundamentais e ainda violados mundo afora.
Os encontros de “O Mundo que Queremos” serão realizados sempre próximos a datas comemorativas, como 8 de março (Dia Internacional da Mulher), 13 de maio (Abolição da Escravatura no Brasil), 28 de junho (Dia Internacional do Orgulho LGBT), 9 de agosto (Dia Internacional dos Povos Indígenas), 21 de setembro (Dia Internacional da Paz), 10 de outubro (Dia Internacional da Menina).
No dia 10 de dezembro, o último evento vai reunir todos os parceiros e demais convidados para uma grande festa reflexiva em celebração as sete décadas da assinatura do documento.

Deixe seu comentário - OPINE!

Seu email não será publicado.