Campanha nacional de vacinação contra gripe começa nesta 2ª para idosos e trabalhadores da saúde

A

A campanha de vacinação contra a gripe começa nesta segunda (23), em todo o país e na região, inicialmente para idosos e trabalhadores da saúde. A vacina foi antecipada para ajudar na identificação de casos de coronavírus – não protege contra o novo vírus, mas como os sintomas da doença são parecidos com os da gripe facilita o diagnóstico por exclusão. Dois moradores de Embu das Artes morreram neste domingo (22) pela covid-19, segundo a prefeitura.

As pessoas com 60 anos ou mais e os profissionais que lidam com os pacientes tomarão a vacina – composta por vírus inativado – que é trivalente e protege contra os três vírus que mais circularam no hemisfério sul em 2019: influenza A (H1N1), influenza B e influenza A (H3N2) – não é demais lembrar que ainda não há vacina contra a covid-19. Os idosos estão no grupo de maior risco para o coronavírus, com letalidade de 15% para os acima de 80 anos.

Os idosos – 20,8 milhões de pessoas no país, segundo o governo – também são considerados mais vulneráveis à gripe. Neste domingo (22), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, pediu que a vacinação no país ocorra sem tumulto, que pessoas de fora do grupo não passem na frente para não faltar vacina para o idoso, e que se evitem aglomerações, contra o coronavírus. “Não formem filas indianas, um atrás do outro, deem um espaçamento”, alertou.

No Jardim Salete, em Taboão da Serra, na manhã desta segunda-feira, a maioria dos idosos esperava a vez distante do outro, em frente à escola municipal Dalva Barbosa Lima Janson, onde está acontecendo a vacinação, e não no posto de saúde do bairro, ao lado, para evitar concentração. “Aqui até que não teve aglomeração, não teve muita gente. Nem lá dentro teve”, disse o aposentado Alberto Francisco, 74, morador do Saint Moritz, à reportagem.

Com o coronavírus, a população está sendo orientada a só sair às ruas em caso de extrema necessidade – a prefeitura decretou no sábado (21) estado de calamidade pública e fechou vários comércios não essenciais para inibir aglomerações. Contudo, o morador disse que ia sair ainda. “Vou precisar resolver um negócio. Tem que ser hoje. Tem uns que chegam perto da gente e conversa em cima. Mas o lugar aonde eu vou não tem muita gente”, disse Alberto.

Todos os idosos podem ser vacinados, na unidade básica de saúde mais próxima de casa, independente de qual seja a letra inicial do nome – é falsa a informação de vacinação por ordem alfabética que está circulando em redes socais. Em São Lourenço da Serra, os idosos não precisarão ir aos postos, serão vacinados em casa por profissionais de saúde, em dias a serem agendados pelos enfermeiros responsáveis de cada unidade da área dos munícipes.

A campanha vai contar com mais duas etapas, com a meta de vacinar 67,6 milhões de pessoas em todo o país até 22 de maio – o ministério vai distribuir 75 milhões de doses aos Estados. Com a estratégia, a expectativa é reduzir o movimento de pacientes doentes nos hospitais e postos de saúde. A próxima etapa começa no dia 16 de abril, para imunizar doentes crônicos, professores (rede pública e privada) e profissionais das forças de segurança e salvamento.

A última fase, que começa em 9 de maio, priorizará crianças de 6 meses a menores de 6 anos, pessoas com 55 a 59 anos, gestantes, mães até 45 dias após o parto, pessoas com deficiência, povos indígenas, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade. O governo do Estado anunciou que a vacina será oferecida gratuitamente também em farmácias a partir de 13 de abril.

ALCEU LIMA
Especial para o VERBO ONLINE, em Taboão da Serra

Deixe seu comentário - OPINE!

Seu email não será publicado.