Contra contágio pelo coronavírus, uso de máscara será obrigatório nas ruas no Estado a partir de 5ª

O uso de máscara de proteção contra o contágio pela covid-19 será obrigatório em deslocamentos e em locais públicos em todo o Estado de São Paulo a partir de quinta-feira (7). O governador João Doria (PSDB), que anunciou a medida ontem, disse que a regra vale para qualquer pessoa que esteja “caminhando ou andando ou se dirigindo a qualquer local no Estado de São Paulo”. Doria disse que a regulamentação da fiscalização caberá às prefeituras.

O uso de máscara – de qualquer tipo – contra o novo coronavírus já é obrigatório no transporte coletivo no Estado desde esta segunda-feira. “A partir de hoje [ontem] já passa a valer a obrigatoriedade do uso de máscaras em todos os meios de transporte público e privado e agora estendemos a toda população, com o objetivo de proteger os brasileiros de São Paulo, para que tenham menos possibilidade de serem infectados ou irem a óbito”, afirmou Doria.

Na região, Embu das Artes e Itapecerica da Serra já obrigam o uso de máscara de forma irrestrita nos respectivos territórios, ou seja, também nas ruas. O prefeito Jorge Costa (PTB) baixou decreto no dia 23 de abril. A Câmara Municipal de Embu aprovou uma lei na quarta-feira (29), com sanção do prefeito Ney Santos (Republicanos) no mesmo dia. Apesar da lei, Ney ainda não regulamentou a fiscalização e penalidades em caso de descumprimento.

O governador também afirmou que cidades que tiverem índices de isolamento inferiores a 50% serão automaticamente eliminadas da flexibilização da quarentena prevista para a próxima segunda-feira (11). Os índices vêm caindo continuamente nas últimas semanas. O Sistema de Monitoramento Inteligente do governo – com dados de telefonia móvel – mostra que o percentual de isolamento social no Estado foi de 47% nesta segunda-feira (4).

Doria afirmou que o “lockdown” (bloqueio total) não faz parte dos planos do governo, mas que não descarta a medida. Em Taboão da Serra, um morador disse que perto da escola Machado de Assis (Pirajuçara) motoristas ou passageiros sem máscara foram parados. À reportagem, um PM e um GCM disseram que as corporações não pararam ninguém. Um agente de trânsito disse que o órgão abordou apenas condutores de serviços essenciais.

Por ADILSON OLIVEIRA, Especial para o VERBO ONLINE, em São Paulo

Deixe seu comentário - OPINE!

Seu email não será publicado.