Contra covid-19, prefeitura e igrejas de Taboão suspendem Paixão de Cristo no centro e Pirajuçara

Em razão da decretação do estado de emergência em Taboão da Serra e consequente proibição dos eventos em espaços públicos na cidade, por conta da pandemia de coronavírus (covid-19), o governo municipal suspendeu na terça-feira (17) a realização da Paixão de Cristo no centro e no Pirajuçara. A medida representa uma mudança drástica, já que a encenação segue o calendário da Igreja Católica e sempre acontece na Sexta-feira Santa.

A Secretaria de Cultura anunciou a decisão, porém, em conjunto com as igrejas envolvidas com a Paixão de Cristo, que neste ano aconteceria já no próximo dia 10 de abril. A tradicional encenação no centro, em frente ao Parque das Hortênsias, tem a participação do Santuário Santa Terezinha. Já a Paixão no Pirajuçara, que ocorre no ginásio Zé do Feijão, é realizada pela Paróquia São João Batista – este ato se estende e tem a parte final no Domingo de Páscoa.

“Seguindo as orientações do nosso prefeito e preocupados em criar mecanismos que contribuam com a prevenção do covid-19, eu me reuni com o Santuário Santa Terezinha e decidimos suspender a Paixão de Cristo. Por mais que nos doa muito, entendemos que é o melhor a se fazer neste momento, em que os ensinamentos de Jesus devem estar mais presentes para nos fortalecer a enfrentar esse desafio”, disse o secretário Wanderley Bressan ao VERBO.

A Paixão no centro, que chega à 64ª edição, reuniu no ano passado cerca de 5 mil espectadores e contou com 53 atores profissionais e 150 pessoas entre produtores e figurantes. “Decidimos em conjunto que é o melhor a se fazer agora para evitar aglomeração em massa e contribuir com o processo de achatamento do pico de transmissão [do coronavírus]”, frisou. Bressan informou que “o mesmo foi conversado e decidido em relação à Paixão do Pirajuçara”.

A Paixão no centro será cancelada ou poderá ocorrer em outra data. “Ainda não decidimos. Deve ter uma nova conversa com o santuário para que tenhamos uma definição. E também com a classe artística, a Paixão de Cristo é mantida também por atores e atrizes da cidade que se dedicam muito. Estamos aguardando ‘baixar a poeira’ deste momento mais crítico para voltar a se reunir e discutir se apresenta em uma data alternativa”, disse Bressan.

A paróquia no Pirajuçara, que celebra 50 anos, cogita a possibilidade. “Estive na São João Batista, que sinalizou interesse em realizar em outro momento, inclusive aproveitando as comemorações do jubileu, em que a prefeitura deve participar, apoiando. Mas a data ainda não foi definida”, declarou Bressan. Desde 2018 a Paixão na região mais populosa da cidade ocorre no ginásio local, com apoio do governo. Em 2019, 1.500 pessoas assistiram à encenação.

Antes da proibição dos eventos e da reunião com Bressan, a paróquia já tinha tomado medidas restritivas devido ao coronavírus e cancelado a encenação, porém, decidida em fazer em outra data. “Não teremos. Está adiado para o segundo semestre. Teremos uma conversa essa semana com a Secretaria de Cultura para informar a decisão da paróquia e alinharmos a proposta de nova data”, disse o coordenador-geral Edson Ferreira à reportagem no dia 15.

EMBU DAS ARTES
Devido ao coronavírus, o governo Ney Santos (Republicanos) decidiu cancelar a Paixão de Cristo em Embu das Artes, no parque Francisco Rizzo (centro) – que está recebendo espécie de “hospital de campanha” para atender eventuais pacientes da doença. A administração tomou a decisão na terça-feira (17) após o prefeito baixar decreto e cancelar todos os eventos que aglomerem pessoas na cidade. A organização tinha a expectativa de público de 10 mil pessoas.

ADILSON OLIVEIRA
Especial para o VERBO ONLINE, em Taboão da Serra

Deixe seu comentário - OPINE!

Seu email não será publicado.