COVID – 19: Fernandes e Raquel falam sobre coronavírus

Em coletiva, realizada na sexta- feira, 12, o prefeito Fernando Fernandes e a secretaria de saude Raquel Zaicaner, falaram sobre a pandemia em Taboão da Serra.

Sobre as mortes em Taboão o prefeito declarou que se preocupa com os dados e que sempre vão atrás para saber das mortes por coronavírus da cidade, tanto que das 111 mortes de Taboão 91 mortes ocorreram fora do município e que o aumento de mortes não fo iapenas em Taboão, mas em todo o estado.

“Na verdade é um aumento de mortes na cidade de São Paulo. O que mostra é que na na epidemia teve um aumento de mortes nessas duas ultimas semanas. […] Desde o inicio da epidemia eu me reuni com a Raquel e decidimos que os nossos números seriam reais. O que norteia os epidemiolgistas e os infectologistas nas decisões a serem tomadas são dados reais que eles recebem. Quando tenta mascarar os dados que eles recebem você atrapalha muito a interpretação que eles tem que dar para definir o rumo de estratégia para o que está acontecendo. [ …] Sempre nos preocupamos com isso. Nós vamos atrás. Tivemos 111 mortes. [ Sendo] 2 no Hospitat da Antena; 1 no Hospital de Campanha, 17 mortes na UPA e 91 [ aconteceram] fora de Taboão, mas se você não corre atrás destes dados muitas desta 91 mortes não seriam nem notificadas”, declarou Fernandes.

Tanto Fernandes como Raquel afirmam que Taboão está com um bom atendimento para os municipes em relação a pandemia. Que o maior medo é a saúde entrar em colapso, pois segundo a secretaria “Não dá para não ter onde deitar um paciente”.

“O nosso medo é o colapso do sistema de atendimento. Estamos em um nivel bom para o estado de SP”, disse Fernando. Já Raquel afirma que “estamos há dois dias sem paciente no tubo. É muita felicidade”.

Para trabalhar a epidemologia dentro de um epidemia há dois pontos principais. O primeiro é a capacidade de atendimento que como foi explicado está dentro da capacidade estadual. O segundo ponto principal é evitar a disseminação da doença, por isso tem se trabalhado a conscientização da população da improtancia de ficar em casa e de usar máscaras ao sair de casa.

Taboão sai de 60 internados para 34 internados. No dia da coletiva Taboão contava com 32 pacientes internados no Hospital de Campanha e 8 pacientes internados na UPA.

“Tem duas pontas para vc trabalhar epideologicamente uma epidemia. Uma é a capacidade de atendimento. Que nós estamos bem. E a outra ponta é você evitar a disseminação da doença. A velocidade que você tem de adoecer também tem que ser controlado e por isso que Taboão investiu na responsabilidade [de cada um] de ficar em casa e usar máscara. Agora, não é porque o comércio abriu que você precisa sair”, explicou Dr. Raquel.

Dentro do caos que a pandemia trouxe o que se encontra a mesa com frequência é o debate da saúde, econômia e preservação de vidas. Fernandes que está em seu último mandato acredita que a eleição poderia ter sido deixada um pouco mais para a frente para que quem fosse receber a cidade a recebesse de forma mais organizada e até mesmo a pressão politica eleitoral poderia ter sido evitada, até mesmo porque é muito dinheiro investido em uma eleição.

“Esse debate gera muita pressão e para condimentar mais um pouquinho tem o processo eleitoral. Um monte de prefeito concorrendo a eleição pressionados pela igreja, pressionados pelo comercio e inclusive fazendo decretos maior que o do estado. Isso era uma coisa que poderia ter sido evitada. O que mudaria o pais jogar a eleição para 2, 3 meses para frente e tirar a perssão da epidemia neste momento? O ganho era muito grande. Passariamos aos sucessores uma situação muito melhor, mais nitida. Isso para mim foi o erro mais grave. Faltou bom senso ou sobrou interesse na historia, pois são 3 milhões de reais. R$ 1 bilhão de fundo partidário e R$ 2 bilhões de fundo eleitoral. R$ 3 bilhões na mão de dirigentes nacionais é muito dinheiro. Ai foi o grande erro da historia.”, declarou Fernadnes.

Sobre a volta as aulas não há previsão de retorno.

A coletiva aconteceu na sexta-feira, 12, por isso dos dados não serem atualizados com os de hoje, 15.

Por Williana Lascaleia, do gabinete do prefeito / Foto: Ricardo Lima

Deixe seu comentário - OPINE!

Seu email não será publicado.