CPI defende necessidade de ampliar “Projeto Guardiã Maria da Penha”

Por CMSP – Foto: luíz França/CMTS
Os integrantes da GCM (Guarda Civil Metropolitana) e as vereadoras da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Mulher – instalada na Câmara Municipal de São Paulo para investigar a situação de vulnerabilidade das mulheres – defenderam nesta terça-feira (8/7) a necessidade de ampliar o “Projeto Guardiã Maria da Penha”.
Instituído por meio de decreto durante a gestão do prefeito Fernando Haddad (PT), o Projeto prevê proteção às mulheres vítimas de violência. No entanto, o Guardiã Maria da Penha funciona apenas na área central da capital paulista. “O programa está bem estruturado e queremos ampliar para outras regiões da cidade. O único empecilho é a falta de efetivo”, explicou a subcomandante da GCM, Lídia Maria de Gouvêa.
De acordo com ela, é necessária a realização de mais concursos públicos para aumentar o número de guardas. “Precisamos de mais pessoas para trabalhar e atender as mulheres que muitas vezes mudam de residência e ficam sem o serviço”, disse Lídia.
A vereadora Sâmia Bomfim concordou. “O Guardiã Maria da Penha é um projeto muito importante porque é protetivo e permite que a mulher se sinta um pouco mais livre”, comentou. Para ela, os casos de violência contra a mulher precisam de atenção. “São vários fatores envolvidos, como a dependência econômica, psicológica, a culpa que a vítima tem. São vários aspectos que precisamos nos preocupar ao propor políticas públicas”, argumentou.
Durante a reunião da CPI, a subcomandante da GCM ainda detalhou que a corporação está trabalhando para evitar os casos de assédio sexual e moral contra as mulheres dentro da instituição. “Atendemos individualmente quem passa por essa situação, garantindo o encaminhamento social, psicológico e jurídico aos guardas que necessitam desse tipo de atenção”, explicou.
A relatora da CPI, vereadora Edir Sales (PSD), considerou importante a participação da subcomandante da GCM e chamou a atenção para a necessidade de a Câmara fazer mais projetos para garantir melhores condições profissionais para a categoria.
“Nós estamos sempre pensando em projetos para melhorar a carreira da GCM, que desempenha um papel fundamental para a sociedade. Precisamos ter mais guardas para que o Guardiã Maria da Penha possa ser levado para todas as regiões”, argumentou.
Para Edir, a CPI tem feito um bom trabalho. “A Comissão é muito importante e queremos que no nosso relatório a Prefeitura amplie mais a nossa atuação junto à guarda”, disse.
 

Deixe seu comentário - OPINE!

Seu email não será publicado.