Escola sem Partido é vetada e professores tem roda de conversa com vereadores


Na tarde desta segunda-feira, 3, todos os vereadores da Casa de Leis estiveram reunidos com pouco mais de 50 professores para discutir a aprovação do projeto Escola sem Partido que foi aprovado por unamidade na sessão da Câmara do dia 28, na semana passada.

O prefeito Fernando Fernandes vetou o projeto após o juridico da prefeitura entender que a proposta é inconstitucional; a instisfação causada aos porfissionais da educação também contou para a decisão. O escola sem Partido foi discutido nacionalmente e já tinha sido dado como inconstitucional.

Segundo o Portal O Taboanense o secretario de educação, João Medeiros, declarou que o melhor no momento é pelo veto do projeto e que foi importante a categoria dos profissionais do magisterio serem ouvidas.

“Quando se chegou a percepção que o projeto é inconstitucional mesmo, ficou definido para que os diretores viessem aqui e ouvissem o vereador. Essa é a democracia. E a atitude tomadas pelos vereadores, de entenderem a posição dos professores, foi muito importante porque ouviram a categoria”, declarou Medeiros ao Portal O Taboanense.

Ainda, segundo o Portal o Taboanense, o presidente Marcos Paulo declarou que “preservar nossas crianças de futuras ideologias que possam ser prejudiciais ao desenvolvimento educacional dos nossos alunos”.

Estava marcada um manifestação de professores na sessão da Casa de Leis desta terça-feira, 4.

Por fim, os vereadores decidiram aguardar a manifestação do Supremo Tribunal Federal para dar andamento ao projeto.

Abaixo segue nota da Câmara de Taboão.

“Nota Oficial Câmara Municipal de Taboão da Serra
O Presidente da Câmara Municipal de Taboão da Serra, vereador Marcos Paulo em conjunto com os 11 vereadores estiveram na tarde de segunda-feira, dia 03/06, em reunião com servidores da Educação do município para debater o projeto de lei autorizativo 60/2017, que dispunha sobre a instituição no sistema municipal do Programa Escola Sem Partido, aprovado por unanimidade na 15ª sessão ordinária, na terça-feira, dia 28/05.

Foi apresentado, ao Presidente Marcos Paulo e aos demais vereadores ações em âmbito nacional que questionam a constitucionalidade do projeto Escola Sem Partido.

Após a explanação dos servidores, os parlamentares resolveram aguardar a manifestação do Supremo Tribunal Federal para posteriormente retomar a discussão no município.”

Escola Sem Partido

O Escola Sem Partido foi derrotado pela na Câmara dos Deputados, em dezembro de 2018. Tem grande apoio do presidente Jair Bolsonaro e de seu filho o Deputado Eduardo Bolsonaro.
O projeto é um movimento politico criado pelo advogado Miguel Nagib e ganhou notoriedade em 2015.

Por Redação Online Foto: CMTS

Deixe seu comentário - OPINE!

Seu email não será publicado.