Justiça suspende diplomação do prefeito eleito de Embu das Artes

Ney Santos é considerado foragido após Operação Xibalba - Foto: Facebook candidato

Por Núcleo de Comunicação Social

Ney Santos é considerado foragido após Operação Xibalba - Foto: Facebook candidato
Ney Santos é considerado foragido após Operação Xibalba – Foto: Facebook candidato

A Justiça Eleitoral suspendeu a diplomação do prefeito eleito de Embu das Artes Claudinei Alves dos Santos, vulgo Ney Santos, atendendo a pedido do Ministério Público de São Paulo.  A diplomação ocorreria na próxima segunda-feira (19/12). O político é considerado foragido desde a deflagração da Operação Xibalba, no último dia 9 de dezembro, quando foram cumpridos 49 mandados de busca e cumpridos 14 mandados de prisão preventiva, sendo que sete pessoas estão foragidas, entre elas Santos.
As investigações conduzidas pelo promotor de Justiça Estêvão Luís Lemos Jorge identificaram uma organização criminosa para lavagem de dinheiro do tráfico de drogas, supostamente lideradas pelo prefeito eleito de Embu.
No pedido à Justiça, o promotor sustenta que o prefeito eleito “usou contribuições provenientes de lavagem de dinheiro oriundo de tráfico de entorpecentes, incluindo os valores doados pelo próprio eleito para a campanha. Tais delitos seriam realizados pela organização criminosa conhecida como Primeiro Comando da Capital (PCC), da qual o investigado seria integrante.
Como o prefeito eleito e o vice-prefeito eleito não irão assumir, uma vez que a investigação refere-se à mesma chapa, caberia ao presidente da Câmara Municipal responder pela prefeitura. Mas o atual presidente da Casa é justamente Ney dos Santos. Portanto, a Justiça decidiu que quem vai assumir é o substituto do presidente da Câmara, que já integra a Mesa Diretora. Depois da posse dos novos vereadores, o parlamentar eleito para dirigir o Legislativo vai responder também pelo Executivo.

*atualizado em 16/12 as 11:44h conforme site do MP

 

Deixe seu comentário - OPINE!

Seu email não será publicado.