Ney Santos afirma ser pré-candidato a prefeito e que está mais vivo do que nunca

Foto: reprodução facebook/ Ney Santos

Por Williana Lascaleia, do Parque Industrial

 

Na noite desta quarta-feira, dia 24, o Presidente da Câmara de Embu das Artes, o vereador Ney Santos, convocou coletiva de imprensa para falar sobre a sua cassação e afirmou que será candidato a prefeitura de Embu nas próximas eleições já que não está inelegível. Ney também disse se sentir injustiçado e “muito” perseguido politicamente pelo PT.

O vereador teve seu mandato cassado após uma denuncia do Partido dos Trabalhadores, PT, ser aceita pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, TRE- SP, que o acusa de angariar votos através de atendimentos da ONG Vida Feliz durante as eleições de 2012.

“Nós fomos processados por uma denuncia feita pelo PT por estarmos usando o trabalho de uma ONG, a Vida Feliz, que eu apoio, para estar angariando votos. Quem conhece a ONG, a ONG não é minha, eu apenas apoio, sabe que nada que acontece na ONG é vinculado a voto” afirmou Ney.

Durante a sessão o Presidente teve apoio de populares que levaram faixas, instrumentos musicais e gritavam apoio em seu nome durante seu discurso. O pré- candidato a prefeito afirmou que respeita a decisão, mas que irá recorrer e que vai provar sua inocência e que está chateado com a justiça, pois até mesmo as testemunhas, incluindo as de acusação, delegado de policia, chefe de cartório eleitoral, comandante da guarda, investigador, oficial de justiça, medico de, dentista, são a seu favor.

“As pessoas que vieram aqui no plenário hoje estão cansadas assim como eu de injustiças e de impunidades de pessoas que estão destruindo nosso país. Eu fico chateado pela injustiça que a justiça fez. Estamos sendo acusados por uma inverdade. [As testemunhas] falam que não tem vinculo politico. Oficial de justiça tem fé publica. Ai você é condenado!”, disse Santos.

O vereador explicou que apesar de ter sido condenado com a perda do mandato, mas que ainda cabe recurso, foi absolvido da inegibilidade, ou seja, ainda pode sair como candidato a prefeito nas próximas eleições que acontece no segundo semestre deste ano e diz que  caso perca o mandato, se hoje trabalha 16 horas por dia, irá trabalhar 20 horas por dia em sua candidatura a prefeito.

“Os mesmos seis votos que me condenou me absolveu da inegibilidade. A parte contraria, os nossos adversários, ao contrario já saiu daqui condenado e inelegível. Nós não. Além de caber recurso da perda do mandato já foi decidido que eu não estou inelegível, quer dizer que estou mais vivo do que nunca e sou candidato a prefeito se essa era a pergunta que vocês iriam fazer”, afirmou Ney com calma e tranquilidade, que foi a marca da coletiva.

O vereador afirma ter crescido muito nas pesquisas, questiona se somente ele deve ser condenado, já que vários, se não todos os vereadores apoiam projetos sociais, e conclui que fazer o processo andar novamente, já que estava parado há cerca de um ano, contratar advogado que já defendeu até o Lula, “só pode ser desespero”.

Deixe seu comentário - OPINE!

Seu email não será publicado.