Sessão tensa marca a volta dos vereadores em Itapecerica da Serra

Por Wilson Barbosa

A sessão da câmara municipal de Itapecerica da Serra, desta terça-feira (29), que marcou a volta dos vereadores presos em novembro de 2015, por ordem do Ministério Público, foi marcada por um clima tenso, acompanhada de protestos e apoio aos vereadores.

A fim de se manter a segurança e evitar conflitos, a tropa de Choque da GCM, com o auxílio da Polícia Militar, foi acionada dentro e fora do plenário. Os ânimos estavam inflamados por manifestantes contrários pela volta dos vereadores. Por outro lado, membros que apoiavam os pares também se manifestaram, fazendo com que o presidente da casa, vereador Alex Pires, paralisasse os trabalhos por diversas vezes, para que se restabelecesse a ordem.

Os vereadores Cléber Bernardes, Hércules da Farmácia, Fabinho Gêmeos, com exceção de Cícero Costa, usaram a tribuna para se pronunciarem em relação ao ocorrido. Foram mais de 100 dias afastados dos trabalhos no legislativo e cada um teve a oportunidade de explicar os fatos.

O primeiro a usar a tribuna foi o vereador Cléber Bernardes (PMDB), que primeiramente parabenizou a coragem, determinação e ousadia positiva do Ministério Público, por tomar a iniciativa de fazer a investigação. Agradeceu a todos que torceram por ele, através de cartas e orações. “Estou sendo investigado, realmente, mas a justiça está prevalecendo e deu a oportunidade de me defender, de provar que não fiz nada de imoral que pudesse lesar esta casa… Acredito na justiça e ela será feita”, afirmou.

Em seguida, foi a vez do vereador Fabinho Gêmeos (PV), que explicou sobre a questão de que fora incriminado pelo ministério público, pois apenas fez um adiantamento de salário que fora pago em parcelas descontados em folha de pagamento. “Moro nesta cidade há mais de 40 anos e jamais faria algo que viesse a desapontar minha família e meus amigos”, finalizou Fabinho.

O vereador Hércules da Farmácia também usou a tribuna e frisou o compromisso que tem com os munícipes de Itapecerica da Serra, ressaltando que permanecerá com fé em Deus e na justiça até o fim do seu mandato. Explicou também que confia na câmara que faz um trabalho sério. Sobre o fato ocorrido, a denúncia do MP, mostrou que está sendo acusado de “Peculato”, ou seja, um crime de funcionário público sobre um adiantamento salarial e que também tem todos os pagamentos já descontados em seu contracheque, inclusive com empenho, comprovando que já devolvera o dinheiro.

“Como disse o colega Cleber Bernardes, eu também acredito na justiça. Se a justiça não fosse correta, ela não teria nos reconduzido de volta a esta casa. Nunca roubei nada, nem na câmara nem fora dela”, fechou Hércules. O vereador citou a todos aqueles que procuram lançar calúnias, que tomem conhecimento dos fatos antes de se manifestar. “Continuarei honrando meu mandato com trabalho e estou aberto a todos que quiserem saber mais sobre os fatos”.

O presidente Alex Pires finalizou a sessão agradecendo a colaboração da GCM e Polícia Militar pela segurança, e à compreensão dos munícipes presentes no plenário, frisando que sua posição não é julgar nem este ou aquele, pois isto a justiça já está fazendo.

 

 

 

Deixe seu comentário - OPINE!

Seu email não será publicado.