Patrulha Guardiã de Taboão completa dois anos com saldo positivo: 607 atendimentos à mulheres e 49 homens presos

A Patrulha Guardiã Maria da Penha da cidade de Taboão da Serra completa 2 anos de sua existência nesta sexta, três de julho. Dados oficiais apontam que neste período 607 vítimas de violência doméstica foram atendidas. 

Ao todo 49 homens agressores foram presos. Nestes dois anos quase 10 mil visitas e rondas foram realizadas. 67 das vítimas foram encaminhadas para o serviço de apoio.  

O Click Regional apurou que as regiões com maior incidência de mulheres que sofrem violência doméstica são  Pirajuçara, Saporito e Vila Sônia. A idade das vítimas que mais sofrem este tipo de violência varia entre 30 a 47 anos, pardas. Violência na quarentena A coordenadora da Mulher, Sueli Amoedo afirmou que houve um aumento de casos de violência doméstica neste período de quarentena.

“Houve um aumento de 22%, segundo o fórum de segurança pública. Na coordenadoria senti esse aumento nos atendimentos virtuais, muitas deixaram de vir por causa da pandemia e intensificamos os atendimentos por telefone e whatsapp”, explicou. 

Entre janeiro e abril deste ano a Coordenadoria da Mulher atendeu 160 novos casos de violência contra a mulher. Ao todo foram 1.116 atendimentos.  

Patrulha Guardiã  

A Patrulha Guardiã conta com duas equipes de guardas civis municipais e duas viaturas.  De acordo com a corregedora da GCM, Dra. Sandra Fidelis, a patrulha é responsável por fiscalizar se as medidas protetivas estão sendo cumpridas.

“O papel da GCM é justamente o de fiscalizar se os agressores estão respeitando a decisão judicial de permanecerem afastados das mulheres que foram vitimadas”. 

A ação, que foi criada partir de um projeto de lei de autoria do Executivo e aprovado pela Câmara Municipal, tem a coordenação da Secretaria Municipal de Segurança e Defesa Social, através da Guarda Civil Municipal, em conjunto com a Secretaria Municipal de Saúde, através da Coordenadoria de Defesa da Mulher.

Por Karen Santiago/ ClickRegional

Deixe seu comentário - OPINE!

Seu email não será publicado.