Vacinas estão em falta e ministério da saúde diz que vai regularizar abastecimento até outubro

Foto: Divulgação


Na manhã desta quinta- feira, 29, a secretaria de saúde, Raquel Zaicaner, em coletiva à imprensa, esclareceu a falta de vacinas em Taboão.
O abastecimento das doses no município é de responsabilidade do Ministério da Saúde e que o “problema” se estende por todo o país.

A vacina pentavalente (difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e influenza B) está em falta nos postos de saúde de todo o país. A dose é oferecida a crianças com menos de 1 ano de idade. Taboão da Serra não possui estoque e a prefeitura aguarda a reposição que será realizada pelo Ministério da Saúde; a previsão da reposição é para outubro. A pentavalente deve ser aplicada em tres doses. Entre os 2, 4 e 6 meses.

“Assim que a gente tiver o fornecimento do governo federal dessa vacina nós vamos está avisando todo mundo que ela chegou”, disse a dra. Raquel Zaicaner, secretária de Saúde.

A secretaria Raquel Zaicaner explica que é uma situação nova, da qual nunca passou e que tem cobrado o Ministério da Saúde e que não há problema no atraso das doses, porém a criança fica sem a devida proteção, mas que “assim que chegar é para ir ao posto tomar, e a gente vai acertando o calendário de vacinação da criança”, concluiu Raquel.

O Ministério da Saúde informa que o governo tem “realizado todos os esforços possíveis para a regularização da distribuição das vacinas e vem, insistentemente, trabalhando com os laboratórios nos cronogramas de entrega, para reduzir possíveis impactos de abastecimento no país”.

Desde julho Taboão está sem o estoque de pentavalente e com problema de abastecimento das vacinas DTP (difteria, tétano e pertussis) e antirrábica humana. O município cobrou e o ministério da saúde já enviou a da hepatite e a BCG.

Por Redação Online, com informações do Portal O Taboanense / Foto: Arquivo

Deixe seu comentário - OPINE!

Seu email não será publicado.