Associação Paradesportiva Todos promove inclusão através do esporte

Por SECOM PMTS

Nada melhor do que o esporte para se promover a inclusão e a superação das pessoas. Em Taboão da Serra existem vários exemplos de instituições e pessoas que se dedicam a isso. Um deles é a Associação Paradesportiva Todos (APT). Criada em 2006, a APT possui 18 atletas na modalidade bocha adaptada.
Evani Calado é uma das atletas ilustres da APT. Nos Jogos Paraolímpicos deste ano, disputados no Rio de Janeiro, ela trouxe para Taboão da Serra, na categoria BC3, o tão sonhado ouro olímpico. Evani conta que o apoio da Associação, somado a muita dedicação nos treinos, foi fundamental para a conquista.
“A minha participação nas Paraolimpíadas era muito esperada, pois os meus treinamentos foram bastante exaustivos, de 8 horas por dia durante dois meses. A APT não mediu esforços para me ajudar. Desde o começo,o meu técnico Mateus Silva tinha a visão que eu seria uma atleta paraolímpica, e veio me treinando no decorrer do tempo. Fui campeã brasileira junto com o Danilo, participei do Mundial realizado na China e de um campeonato em Portugal antes de ir para o Rio. E Para participar dos Jogos, a APT me ajudou muito para viabilizar os materiais necessários para a viagem”, disse.
Pedro Arnaldo, que é um colaborador muito dedicado da Associação, ressalta o apoio da Secretaria de Esportes em todas as competições disputadas. “Graças a Deus, nós temos um secretário de Esportes ‘nota 10’. Ele tem nos ajudado muito, seja com uniformes, agasalhos, além de nos ceder vans adaptadas e normais para que possamos ir até os locais de disputa dos campeonatos”, contou.
“É com muito orgulho que a prefeitura, através da Secretaria de Esportes, tem dado todo o apoio para a APT. Trata-se de um trabalho feito com muito amor e dedicação por todos os atletas e pelo presidente da Associação, o Marcelo. A cidade fica muito feliz não só com os resultados esportivos positivos, como a medalha de ouro da Evani, mas como também por toda a luta e superação destas pessoas. Vale ressaltar que a nossa cidade tem infraestrutura esportiva, o que nos permite sediar partidas de bocha adaptada, no Ginásio Zé do Feijão”, falou o secretário de Esportes, Fábio Fernandes.
Para quem tiver interesse em conhecer melhor o trabalho da APT, os contatos são: 96807-1975 ou 99111-4266. O e-mail é: aptstodos@hotmail.com. Os atletas da Associação treinam no CEU Campo Limpo, nas segundas, quartas e sextas-feiras, das 9h às 14h.
Bocha adaptada
Neste esporte, o intuito é lançar as bolas coloridas o mais próximo possível da bola branca. Podem ser usadas as mãos, os pés, instrumentos de auxílio e até ajudantes no caso dos atletas com maior comprometimento dos membros. Cada time lança seis bolas por rodada e precisa aproximar sua bola da bola branca e também afastar a do time adversário.
Os atletas têm como classificação CP1(deficiência mais severa) ou CP2 e divididos em quatro classes. Na BC1, estão atletas CP1 ou CP2 que têm paralisia cerebral que podem competir com o auxílio de ajudantes. Na BC2, os da CP2 com paralisia cerebral que não podem receber assistência. Na BC3, aqueles com deficiências muito severas e que utilizam um instrumento auxiliar, podendo ser ajudados por outra pessoa. A BC4, por sua vez, conta com atletas com outras deficiências severas, mas que não recebem assistência.

Deixe seu comentário - OPINE!

Seu email não será publicado.